migrante

Migrante é um projeto em andamento que parte de duas situações: a primeira é o fato de os álbuns de família serem sempre muito parecidos entre sí, as fotografias que entram para os álbuns são, na maioria das vezes, rituais de momentos de felicidade e/ou que projetem a sensação de uma vida perfeita. 

A segunda, é que o tempo age sobre esses relicários e provoca transformações não planejadas em suas narrativas, sejam elas causadas apenas pelo desgaste do tempo ou pela intervenção humana. Busco, nesses álbuns, os movimentos das imagens em busca de novas histórias. Aquelas que se soltam de seu lugar de origem e vagueiam pelas páginas; as que simplesmente vão embora para nunca mais voltar; as que se empilham escondendo outras histórias ou contando mais sobre elas; as que ocupam uma página que antes era vazia; as indecisas, que ficam presas por uma pontinha da cola; as que se colam sobre as antigas, ganhando até um contorno novo e diferente das outras; as que sua mais bela imagem é seu verso; as que a escrita é, por sí só, uma imagem; e tantas outras que caminham pelas páginas alterando a narrativa.

Para essa pesquisa, são coletados álbuns em que se percebam essas histórias latentes, eles são fotografados e, por enquanto, são catalogados de duas formas: páginas completas (frente e verso) e seus anexos (fotos que não estão coladas) e recortes das trajetórias que as imagens tomam nos álbuns (vestígios, sobreposições e os mais diversos casos enumerados acima).